sábado, 15 de fevereiro de 2014

Uma nova perspectiva

Video lavador de alma... Como sou injusta comigo mesma.

As lágrimas, inevitavelmente, lavaram meu rosto. Pensei como as mães são tão parecidas umas com as outras. Só mudamos de endereço.
Estou quase sempre me cobrando por algo que fiz ou não fiz. A pesada opinião de que as mães sempre estão certas, mesmo não estando. 
Educar, corrigir, dar limites, não é nada fácil. Minha filha de 3 anos é especialista em testar minha paciência e ver até onde ela vai e com isso, muitas vezes dou lugar a educadora errante que existe dentro de mim.

O post é especialmente porque vi esse vídeo. E como foi leve ouvir das crianças a perspectiva delas, em relação a nós mães. E pensar que muitas dessas respostas poderiam ser das minhas pequenas, remediando assim, a minha irremediável fragilidade. 

O fato é que mães querem ser fortes, mas somos tão frágeis! Somos seres errantes querendo ser "acertantes" sempre. 




segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Espera e paciência

Clarice,

Há dias você cita a seguinte frase: "eu não gosto de esperar".
Você geralmente diz isso quando eu estou ocupada e não posso te atender de pronto, como nós duas gostaríamos.
Esperar tem muito a ver com paciência, filha. E paciência tem muito a ver com perseverar, não desistir.

No mundo dos adultos, esperar e ter paciência é quase que um exercício diário, insuportavelmente angustiante. Esperamos tanta coisa da vida, das pessoas, da natureza, de Deus! Quase sempre as pessoas estão esperando algo. E muitas vezes a falta de paciência por esperar, nos move, nos transforma em pessoas que batalham pelos seus sonhos, a espera acaba virando um combustível para persistir, não desistir. É o corre, corre da vida. Estamos sempre na sala de espera por alguma coisa ou alguém, clamando para a paciência não acabar.

Mas existe boas esperas... Quando uma mãe, esperando o dia para nascer seu bebê. Que linda espera!
Quando colocamos nosso bolo preferido para assar e sabemos que logo o comeremos com um café.
Quando estamos contando até 10 esperando os amigos se esconderem no esconde-esconde.
Quando está perto da saudade acabar.

Eu espero que você espere sempre com paciência, mas nunca acomodada. Nunca cruze os braços na sala de espera, filha.

De sua mamãe,
Samyra.



quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Sobre ometeles e alegria

Hoje Clarice resolveu preparar o jantar com o pai dela.
Aproveitei o "vuco vuco" dos dois na cozinha e fui dar colo para a Cecilia.

Há tempos estamos incentivando a Clarice comer coisas diferentes. O paladar dela anda meio chatinho e ela consegue enxergar alfaces em tudo que seja verde. Ela descomplicou e resolveu chamar todos os verdinhos da comida de alface.

Voltemos a omelete.
Quando fomos finalmente jantar, ela ficou toda feliz pelo resultado da omelete, e eu fiquei feliz ao ver que a cozinha estava de pé.

_ Clarice a omelete ficou deliciosa, filha!
_ Sim mamãe... eu ajudei o papai a fazer.
_ Ah como foi que vocês fizeram?
_ Com alegria!

Receita de Omelete à moda papai:
ovos,
leite,
requeijão,
curry,
sal,
Alegria...

 : )




O quintal

Clarice,

Desde cedo, você deve aprender uma lição: nem sempre temos o que queremos. Seu pai e eu sonhamos com uma casa que tenha janelas grandes, jardim e quintal. Mas o que temos é um apartamento, confortável e no qual fazemos de tudo para que ele possa ser nosso melhor aconchego. E como o assunto aqui é quintal, não podemos dizer que não temos um, nós temos; ainda que coletivo.

São em parques, que te levamos, quando queremos que respire ar puro, quando queremos que corra, brinque, se divirta, ou seja, quando queremos te oferecer um quintal.

Quando crianças, nós, seus pais tivemos um quintal. O da nossa casa, o da casa dos avós. Brincávamos tanto e nem percebíamos o valor desse pequeno espaço, onde acumulam-se vasos de plantas e a casa do cachorro... É no quintal que tomamos o melhor banho de mangueira que há! É no quintal que enterramos tesouros. É no quintal que os adultos vêem as crianças brincando e ficam com vontade de agir igual a elas.

Não temos um quintal só pra você e Cecilia, infelizmente. Mas sabe, filha, qualquer parque, praça, pedaço de grama que seja, pode ser um quintal. Brinque, pule e corra sempre!!! Solte pipas, ande de bicicleta... O quintal mais legal do mundo pode estar dentro da gente ou na nossa imaginação.

Dentinhos à vista

Cecilia,

Hoje percebi que está nascendo seu primeiro dentinho. Eis a explicação para alguns momentos que vc extrapolou no nervosismo. : ) Uma alegria!
Parabéns, princesa.

Você já tem os dois inferiores número 1.
\o/


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Tempo, amigo... Seja legal!





Para Clarice & Cecilia
Minhas filhas queridas,

Hoje estava pensando na próxima festa de aniversário. Adoro planejar, sonhar, inventar. Sou dessas que põe a mão na decoração. Nossas festinhas são todas caseiras... E pensando sobre tudo isso percebi que está faltando 5 meses para esse grande dia. Me peguei no susto e percebi que em breve, terei uma mocinha de 4 anos e uma bebê de 1. Com essas crianças crescendo à todo vapor, se piscarmos, perdemos alguma coisa, alguma gracinha.

O tempo está passando à jato, ele não perdoa se temos muita coisa pra fazer, ele não perdoa a agenda lotada e os afazeres rotineiros, ele não dá tempo. Precisamos ficar espertas com ele, filhas. Vocês ainda vão saber que o tempo pode ser o remédio para tantos males, mas pode ser, também, um veneno, impiedoso e intransigente, incapaz de voltar nem mesmo por um segundo, nem mesmo para vermos aquele sorriso de novo, nem mesmo pra sentir aquele abraço. O tempo nunca volta. Ele é cronológico e só sabe andar pra frente.


Maria Gadú canta: "compositor de destinos, tambor de todos os ritmos"... esse é o tempo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...